A São Bernardo e você
São Bernardo Previdência Privada

 

| Política de Investimentos | Análise dos Investimentos | Composição do Patrimônio |

  | Rentabilidade das Quotas |

Rentabilidade das Quotas

               

 

Variação mensal

PER͍ODO

SB Pós/São Bernardo (1)

SB Zero

SB 20

SB 40

 

Valor no final do período R$ Rentabilidade Valor no final do período R$ Rentabilidade

Valor no final do período R$

Rentabilidade

Valor no final do período R$

Rentabilidade

jun/11

1

1

 

1

 

jul a dez/11

1,06345437
6,35%

1,04153791

4,15%

1,01935397

1,94%

 ano 2012

1,22259677
14,97%

1,20498398

15,69%

1,18481080

16,23%

ano 2013

1,03628980

3,630% (2)

1,20608806

-1,35%

1,18698955

-1,49%

1,17179261

-1,10%

ano 2014

1,14513817

10,50%

1,33365478

10,58%

1,28895088

8,59%

1,23853049 

5,70%

ano 2015
1,29449617

13,04%

1,48834776

11,60%

1,38469935

7,43%

1,27136038 

2,65%

jan/16

1,30831668
1,07%
1,50994225
1,45%
1,39338922
0,63%
1,26564268
-0,45%
fev/16
1,32103249
0,97%
1,52604618
1,07%
1,41505471
1,55%
1,29358675
2,21%

mar/16

1,33603609
1,14%
1,54410066
1,18%
1,45218429
2,62%
1,35253729
4,56%
abr/16
1,35020229
1,06%
1,55978110
1,02%
1,47966748
1,89%
1,39305455
3,00%

mai/16

1,36489663
1,09%
1,57768546
1,15%
1,47778183
-0,13%
1,37200013
-1,51%

jun/16

1,38068714
1,16%
1,59608651
1,17%
1,50795676
2,04%
1,41224009
2,93%

jul/16

1,39607496
1,11%
1,61410465
1,13%
1,55213633
2,93%
1,47848637
4,69%

ago/16

1,41291301
1,21%
1,63338251
1,19%
1,56716829
0,97%
1,49000500
0,78%

set/16

1,42839285
1,10%
1,65355106
1,23%
1,58108988
0,89%
1,49801943
0,54%

out/16

1,44322179
1,04%
1,66921012
0,95%
1,62316783
2,66%
1,56007059
4,14%

nov/16

1,45820463
1,04%
1,68210776
0,77%
1,61312815
-0,62%
1,53324090
-1,72%

dez/16

1,47428831
1,10%
1,70398008
1,30%
1,62615889
0,81%
1,53737256
0,27%

acumulado ano 2016

13,89%
14,49%
17,44%
 
20,92%

jan/17

1,49004830
1,07%
1,72548710
1,26%
1,66601459
2,45%
1,59287862
3,61%

fev/17

1,50289272
0,86%
1,75343680
1,62%
1,69937225
2,00%
1,63025920
2,35%

mar/17

1,51853295
1,04%

1,77164710

1,04%
1,70693205
0,44%
1,62895880
-0,08%

abr/17

1,53039213
0,78%
1,78069267
0,51%
1,71825163
0,66%
1,64271578
0,84%

mai/17

1,54461219
0,93%

1,78691759

0,35%
1,70991383
-0,49%
1,62086435
-1,33%

jun/17

1,55735603
0,83%

1,80008977

0,74%
1,72236542
0,73%
1,63212079
0,69%

jul/17

1,56972331
0,79%

1,82823926

1,56%
1,75908841
2,13%
1,67597587
2,69%

ago/17

1,58208829
0,79%

1,84467494

0,90%
1,792449817
1,90%
1,72375751
2,85%

set/17

1,59213478
0,64%

1,86390554

1,04%
1,82527226
1,83%
1,76855267
2,60%

acumulado ano 2017

6,47%
7,29%
8,17%
 
9,02%

acumulado ano 2017

7,99%
9,39%
12,24%
 
15,04%

acumulado desde jun/11

 
56,972%(3)
82,824%
75,909%
 
67,598%

acumulado desde jun/11

 
59,213%(3)
86,391%
82,527%
 
76,855%

 

 

 

 

(1) SB Pós até abril/2015 e São Bernardo a partir de maio/2015

(2) Agosto a dezembro de 2013

(3) Agosto de 2013 junho 2017

 

 Rentabilidade da Renda Fixa São Bernardo

 PERÍODO

DI

SB Pós

SB Zero

 

 

 

 

jul a dez/11

5,76%

 

6,35%

 2012

8,40%

 

14,96%

2013

8,06%

 

-1,35%

 2014

10,81%

10,50%

10,58%

2015

13,24%

13,04%

11,60%

2016

14,00%

13,89%

14,49%

jan/17

1,08%

1,07%

1,26%

fev/17

0,86%

0,86%

1,62%

mar/17

1,05%

1,04%

1,04%

abr/17

0,79%

0,78%

0,51%

mai/17

0,93%

0,93%

0,35%

jun/17

0,81%

0,83%

0,74%

jul/17

0,80%

0,79%

1,56%

set/17

0,64%

0,64%

1,04%

 

Rentabilidade da Renda Variável São Bernardo

 PERÍODO

Ibovespa

Renda Variável São Bernardo

jul a dez/11

-9,06%

-5,21%

 2012

7,40%

18,63%

2013

-15,50%

-1,16%

2014

-2,91%

-1,77%

2015

-13,31%

-9,20%

2016

38,94%

29,55%

jan/17

7,38%

7,26%

fev/17

3,08%

3,50%

mar/17

-2,52%

-1,86%

abr/17

0,64%

1,18%

mai/17

-4,12%

-4,09%

jun/17

0,30%

0,87%

jul/17

4,80%

4,89%

ago/17

7,46%

6,69%

set/17

4,88%

4,93%

 

     

                Clique nos períodos para ver o quadro com a Rentabilidade das Quotas em:

                junho/06 a junho/11

                julho/11 a dezembro/11

                2012

                2013

                2014

                2015

                2016

 

 

Rentabilidade da Renda Fixa em 2015

 

 

 

Desde o mês de junho deste ano as carteiras de investimentos financeiros que compõem os perfis de investimentos da São Bernardo têm sofrido forte flutuação de rentabilidade,não só na renda variável, mas também na renda fixa. Isso fica evidente quando comparamos as performances do perfil São Bernardo com as do perfil SB Zero. Embora ambos sejam compostos por papéis 100% de renda fixa, os seus níveis de rentabilidade têm sido diferentes.

 

Ocorre que os tipos de papéis que compõem aquelas duas carteiras têm características diferentes e os valores de mercado dos que compõem o SB Zero têm caído após o mês de junho em função do atual ambiente político e econômico. Como veremos mais adiante, no médio e longo prazo esses papéis têm apresentado rendimentos maiores do que os dos papéis que compõem o perfil São Bernardo, mas estão sujeitos a fortes variações mensais. Portanto, essa situação poderá se reverter em breve, no momento em que houver uma solução do quadro político e uma perspectiva mais favorável da economia.

 

O perfil São Bernardo é composto basicamente por papéis pós-fixados atrelados ao índice CDI, que acompanha a taxa básica de juros SELIC, estabelecida pelo Banco Central. Por isso o seu rendimento é mais estável e acompanha a SELIC. Já os papéis do perfil SB Zero são mais variados, com grande parcela de NTN-B, que são títulos públicos indexados à inflação, com mais uma taxa pré-fixada definida na compra do papel. Esses títulos tendem a oferecer rentabilidades maiores, porém seus valores de mercado sofrem variações mais fortes no dia a dia. Porém, não se pode esquecer que os investimentos de previdência são de longo prazo e assim devem ser considerados.

 

Além dos impactos acima mencionados, os perfis SB-20 e SB-40 foram ainda mais prejudicados pelas suas parcelas de renda variável.

Veja a seguir a rentabilidade mensal dos quatro perfis e as explicações sobre as razões da volatilidade atual:

 

 

Período São Bernardo SB Zero SB 20 SB 40 CDI
Janeiro 0,92% 1,05% -0,29% -1,71% 0,93%
Fevereiro 0,81% 0,74% 1,93% 3,23% 0,82%
Mar�ço 1,03% 0,95% 0,96% 0,98% 1,04%
Abril 0,92% 1,03% 1,92% 2,86% 0,95%
Maio 0,95% 1,36% 0,09% -1,21% 0,98%
Junho 1,07% 0,66% 0,66% 0,64% 1,07%
Julho 1,18% 0,70% 0,16% -0,41% 1,18%
Agosto 1,08% 0,30% -1,11% -2,67% 1,11%
Setembro 1,09% 0,25% -0,11% -0,57% 1.11%
Acumulado Ano 9,43% 7,25% 4,24% 0,99% 9,56%
Rentabilidade / CDI 98,64% 75,84% 44,35% 10,36%
-

 

Para entender melhor o que está ocorrendo, devemos entrar em detalhes mais técnicos do mercado financeiro.

Vamos relembrar as composições básicas e os benchmarks de rentabilidade dos perfis de investimento do Plano São Bernardo, esclarecendo que benchmark de rentabilidade significa o objetivo de rentabilidade que se busca em cada perfil:

 

Perfil de Investimento

Composição e (Benchmark de Rentabilidade)

 

 

São Bernardo

100% Renda Fixa       (100% IMA-S*)

SB-0

100% Renda Fixa       (80% IMA-S + 20% IMA-B)

SB-20

80%   Renda Fixa       (80% IMA-S + 20% IMA-B)   +   20% Renda Variável     (100% Ibovespa)

SB-40

60%   Renda Fixa       (80% IMA-S + 20% IMA-B)   +   40% Renda Variável     (100% Ibovespa)

 

 

 

 

Antes de continuar, vamos ver o que  vem a ser IMA.

 

O IMA é uma família de índices de renda fixa, que representa a evolução da carteira de títulos públicos federais a preços de mercado, com abrangência aproximada de 97% desse segmento de mercado. Existem vários índices IMA, mas as carteiras da São Bernardo contêm papéis relacionados somente aos índices IMA-S e IMA-B:

 

IMA-Geral – índice da carteira teórica de todos os títulos elegíveis, representando a evolução do mercado como um todo;

IMA-Geral ex-C – índice da carteira do IMA-Geral, excluídos os títulos NTN-C, indexados ao IGP-M

 

Além desses dois índices de caráter geral, existem outros que são determinados pelos indexadores a que seus títulos são relacionados:

 

IMA-S – papéis pós-fixados, que acompanham a taxa básica de juros SELIC

IMA-B – papéis indexados ao IPCA (índice oficial de inflação)

IRF-M – papéis com taxas de rentabilidade pré-fixadas

IMA-C – papéis indexados ao IGP-M

 

Os índices IMA-B e IRF são ainda segmentados em outros índices segundo os prazos de vencimento de seus papéis: IMA-B 5, IMA-B 5+, IRF-M 1 e IRF-M 1+

 

Voltando aos perfis de investimento da São Bernardo, veja que a Renda Fixa do perfil São Bernardo (100% IMA-S) é diferente da Renda Fixa dos demais perfis (80% IMA-S + 20% IMA-B).

 

Como já vimos, a parcela IMA-S é chamada de pós-fixada, muito parecida com o CDI. A oscilação deste índice está diretamente relacionada à taxa básica de juros (SELIC). Portanto, quando esta taxa sobe, sobe também a rentabilidade.

 

Já a parcela IMA-B, composta em grande parte por NTN-B (títulos públicos indexados à inflação), é atrelada à variação da inflação somada a uma taxa pré-fixada (cupom), definida no momento da compra do papel.

 

Historicamente, a parcela da renda fixa ligada à inflação (IMA-B) tem rendido de 0,5% a 1,0% ao ano acima da parcela IMA-S/CDI. Porém, apresenta muito mais volatilidade no curto prazo, ou seja, alterna meses com alta rentabilidade com outros de baixa rentabilidade. E é justamente isso que está ocorrendo desde junho.

 

Mas, por que ocorre essa volatilidade?

 

Isso acontece porque, para o cálculo do valor das quotas dos perfis do Plano São Bernardo os papéis são valorizados “a mercado” no dia a dia. Isso significa que um determinado papel tem um valor de mercado que varia a cada momento. Essa variação ocorre porque ele tem uma rentabilidade já definida, acima da inflação, até o seu vencimento e o mercado paga por aquele papel um valor diferente a cada dia, dependendo da expectativa da taxa de juros que estará sendo praticada no futuro.

 

Ou seja, quando os agentes financeiros entendem que a situação econômica tende a se deteriorar e que isso vai resultar em práticas de juros futuros muito mais altos do que os juros definidos naquele papel, o seu valor de mercado cai, pois só assim ele poderá garantir ao investidor o rendimento mais alto que ele espera ter lá na frente. Caso o ambiente político/econômico evolua positivamente e as expectativas mudem para taxas de juros futuros mais baixos, aí ocorre o contrário e o valor do papel sobe, pois ele garante uma rentabilidade superior àquela que se espera que esteja sendo praticada no momento do seu vencimento. Esse é o jogo que provoca a volatilidade das rentabilidades.

 

A expectativa de juros futuros, formulada pelos agentes financeiros no dia a dia, é direta e fortemente influenciada tanto pela situação atual (riscos conhecidos e que podem influenciar a dinâmica de taxa de juros referencial, por ex. alteração na percepção do risco do país, dificuldade de acessar mercados externos para financiar investimentos, desinteresse dos investidores estrangeiros etc...), quanto pelas tendências do ambiente político e econômico. O ano de 2015 começou com um clima de receio por parte dos investidores, porém o resultado dos investimentos dos meses de janeiro a maio foram positivos para a maior parte das classes de ativos, inclusive a renda variável.

 

Porém, de junho para cá aumentou o grau de stress em função da evolução do quadro político, da operação lava-jato, do orçamento deficitário para 2016 e da perda do “grau de investimento”. Como resultado, podemos citar que a taxa acima da inflação (cupom) paga, no final de maio deste ano, pela NTN-B com vencimento em 2055, era de 5,90%. No final do mês de setembro esta taxa estava em 7,38%. O resultado disso foi muito ruim para o benchmark IMA-B que rendeu -0,73%, -3,02% e -0,68% nos meses de julho, agosto e setembro. Quando houver uma normalização do quadro político e econômico, com expectativa de queda nas taxas futuras de juros, o efeito no rendimento daquele papel poderá ser positivo.

 

A renda variável também foi fortemente afetada, com se vê a seguir:

 

Mês

RPI (Fundo de Renda Variável São Bernardo)

IBOVESPA

IBR-X 100

% Mês

Variação S/IBOVESPA

Variação S/IBR-X100

% Mês

% Mês

Jan/15

-6,41%

-0,21%

2,09%

-6,20%

-8,50%

Fev/15

7,64%

-2,33%

-1,69%

9,97%

9,33%

Mar/15

1,08%

1,92%

1,58%

-0,84%

-0,50%

Abr/15

5,98%

-3,95%

-3,14%

9,93%

9,12%

Mai/15

-4,77%

1,40%

0,70%

-6,17%

-5,47%

Jun/15

0,64%

0,03%

-0,13%

0,61%

0,77%

Jul/15

-2,04%

2,13%

1,40%

-4,17%

-3,44%

Ago/15

-6,67%

1,66%

1,58%

-8,33%

-8,25%

Set/15

-1,67%

1,69%

1,53%

-3,36%

-3,20%

Acum./15

-7,02%

2,87%

4,18%

-9,89%

-11,20%

 

Diante desse quadro, a direção da São Bernardo pode assegurar que ela e os gestores de recursos da entidade estão atentos e fazendo todos os esforços para defender os interesses dos participantes. O importante é ter em mente que o investimento de previdência é de longo prazo e é necessário manter esse foco na hora de tomar qualquer decisão.

 

 

Comitê de Investimentos

 

Clique aqui para salvar um arquivo pdf deste documento.